Conteúdo do blog

Conteúdo do blog

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

01.01.09 - NOVA REFORMA ORTOGRÁFICA



Arte by Selene

De acordo com os dados da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), cerca de 240 milhões de pessoas serão atingidas pelas novas regras da ortografia implementadas na gramática do português – terceira língua ocidental mais falada, só perdendo para o inglês e o espanhol. Estas normas foram estabelecidas no acordo internacional, assinado em 1990, e entram em vigor a partir de hoje.


O referido acordo objetiva unificar a ortografia portuguesa, eliminando as regras divergentes entre o Brasil e os demais países cujo idioma oficial é a língua portuguesa tais como: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Há, portanto, duas ortografias distintas: a do português do Brasil e a do português de Portugal - seguida pelo restante dos integrantes da CPLP.


Provavelmente estas mudanças não chegarão a provocar transtornos para a maioria da população, pois a mesma terá um tempo razoável para a adaptação: até dezembro de 2012. Contudo, a partir de janeiro de 2013 somente será aceita a nova ortografia.
Já entre os professores, jornalistas, e os escritores em geral há, realmente, uma preocupação maior. Destes, certamente, será cobrada uma adaptação em tempo recorde, para que possam funcionar como colaboradores para agilizarem e levarem a efeito as mudanças no tocante aos demais habitantes destes países.


Apesar dos embargos de Portugal - que se julga o único dono da língua - quanto à adoção do novo acordo, este não deixará de acontecer. A partir do momento em que, aproximadamente, 200 milhões de brasileiros passarem a utilizar as novas regras, a permanência das antigas tornar-se-á inviável e, fatalmente, todos terão que adotá-las.


Vale salientar que este acordo jamais unificará a língua falada destes países. Até porque todos têm variações linguísticas próprias. O que precisa ficar claro é que a finalidade do acordo é unificar a ortografia e não a língua. Portanto, já que as mudanças são irreversíveis, sejamos mais tolerantes e menos preconceituosos e adiramos a elas!

Vejamos as principais mudanças:

HÍFEN

Emprego do hífen com prefixos
Regra básica
Sempre se usa o hífen diante de h:
anti-higiênico, super-homem.

Outros casos

Prefixo terminado em vogal:

Sem hífen diante de vogal diferente:
autoescola, antiaéreo.
Sem hífen diante de consoante diferente de r e s:
anteprojeto, semicírculo.
Sem hífen diante de r e s. Dobram-se essas letras:
antirracismo, antissocial, ultrassom.
Com hífen diante de mesma vogal:
contra-ataque, micro-ondas.


Prefixo terminado em consoante:

Com hífen diante de mesma consoante:
inter-regional, sub-bibliotecário.
Sem hífen diante de consoante diferente:
intermunicipal, supersônico.
Sem hífen diante de vogal:
interestadual, superinteressante

Observações:

1. Com o prefixo sub, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r:
sub-região, sub-raça etc.
Palavras iniciadas por h perdem essa letra e juntam-se sem hífen:
subumano, subumanidade.
2. Com os prefixos circum e pan, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por m, n e vogal:
circum-navegação, pan-americano etc.
3. O prefixo co aglutina-se em geral com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia por o:
coobrigação, coordenar, cooperar, cooperação, cooptar, coocupante etc.
4. Com o prefixo vice, usa-se sempre o hífen:
vice-rei, vice-almirante etc.
5. Não se deve usar o hífen em certas palavras que perderam a noção de composição, como:
girassol, madressilva, mandachuva, pontapé, paraquedas, paraquedista etc.
6. Com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, usa-se sempre o hífen:
ex-aluno, sem-terra, além-mar, aquém-mar, recém-casado, pós-graduação, pré-vestibular, pró-europeu.

TREMA

Deixará de existir, a não ser em nomes próprios e seus derivados como "Müller" e "mülleriano".
- Estará correto escrever "linguiça", "sequência", "frequência" e "quinquênio" ao invés de lingüiça, seqüência, freqüência e qüinqüênio.
Mas, lembre-se, a pronúncia não vai mudar.

ACENTO DIFERENCIAL

Não se usará mais para diferenciar: "pára" (verbo) de "para" (preposição), mas permanecem o do verbo pôr, para diferenciar da preposição por bem como os dos verbos ter e vir, para diferenciar as flexões das terceiras pessoas do singular e do plural.

ALFABETO

O alfabeto deixa de ter 23 letras para ter 26, com a incorporação das letras "k", "w" e "y". Isto regulariza o emprego das mesmas que, atualmente, são rejeitadas por alguns cartórios devido à sua origem estrangeira.

ACENTO CIRCUNFLEXO

- As paroxítonas terminadas em "o" duplo, por exemplo, não terão mais acento circunflexo. Ao invés de "abençôo", "enjôo" ou "vôo", os brasileiros terão que escrever "abençoo", "enjoo" e "voo".
- Não se usará mais o acento circunflexo nas terceiras pessoas do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos "crer", "dar", "ler", "ver" e seus decorrentes, ficando correta a grafia "creem", "deem", "leem" e "veem" e nem em palavras terminadas em hiato.

ACENTO AGUDO
Não se usará mais:

- Nas formas verbais que têm o acento tônico na raiz, com "u" tônico precedido de "g" ou "q" e seguido de "e" ou "i".
- Em palavras paroxítonas, com "i" ou "u" tônicos, quando precedidos de ditongo, perde-se o acento. Por exemplo, em feiúra, que passará a ser grafada “feiura”.
- Haverá eliminação do acento agudo nos ditongos abertos "ei" e "oi" de palavras paroxítonas, como "assembléia", "idéia", "heróica" e "jibóia". O certo será assembleia, ideia, heroica e jiboia.

Obs.: Portugal quer manter o acento agudo no "e" e no "o" tônicos que antecedem m ou n, enquanto o Brasil quer continuar a usar circunflexo nessas palavras: académico/acadêmico, génio/gênio, fenómeno/fenômeno, bónus/bônus.


GRAFIA
No português lusitano:

Desaparecerão o "c" e o "p" de palavras em que essas letras não são pronunciadas como em "acção", "acto", "adopção" e "baptismo". O certo será ação, ato, adoção e batismo.
Será eliminado o "h" de palavras como "herva" e "húmido" que passarão a ser grafadas como no Brasil: “erva” e "úmido".


Copyright © 2009 Selene




Sites consultados: http://www.livrariamelhoramentos.com.br/Guia_Reforma_Ortografica_Melhoramentos.pdf
http://www.academia.org.br/
Acesso em 01.01.09.

5 comentários:

Anonymous disse...

Realmente, a fala (lingua) não muda, o que muda é a ortografia, o que causa uma confusão danada! Pra falar a verdade, eu vou precisar, a partir de hoje, de uma boa revisora ortográfica para me orientar. Seu texto é esclarecedor e didático, acima de tudo. Parabéns!
Beijos!

Anonymous disse...

obrigada pela aula...
jullyeth

José Bino disse...

Ufa! Josselene, quanto trabalho teremos pela frente. Junto-me aos que julgam desnecessária a reforma ortográfica. É muito gasto, para pouca mudança.
Porém, como já está vigorando, só nos resta pesquisarmos, estudarmos, como você está fazendo e muito bem.
Obrigado pelo excelente trabalho. Que seu exemplo sirva como estímulo para nós, que desejamos melhoras para nossas vidas, "esquecendo", de pôr a mão na massa. Valeu.

Romuleka disse...

E será q vc pode me ajudar com palavras específicas (aliás, nem sei se as palavras aliás e específicas tem ou não acento...rs)
Se puder, agradeço:
fábrica, relógios, jóias, anéis, carnê, crédito, indispensável, após, só, terá, você e nós!!!!... Só isso q quero saber!
Guardando seu blogger aqui q assim q puder "estudar" com certeza contarei com ele. Grande orientadora!

Selene disse...

Obrigada a todos pelo acesso e comentários.

Romuleka,

Mandei sua resposta por e-mail.

Um abraço e voltem sempre.