Conteúdo do blog

Conteúdo do blog

domingo, 22 de maio de 2016

domingo, 27 de dezembro de 2015

Café & Poesia




ÚLTIMO ENCONTRO DE 2015 DO GRUPO CAFÉ & POESIA

Na manhã de hoje (26/12/2015), no RustCafé Coffee, realizamos o último encontro de 2015 do grupo Café & Poesia no qual comemoramos o aniversário de Vanda Maria Jacinto, com direito a homenagem musical na linda voz de Goretti Alves, a mais nova integrante do grupo.



Também recebemos a visita do músico e poeta pernambucano Kleber Araújo, que retornará a Mossoró, em fevereiro de 2016, para lançar o seu terceiro CD "Cinema Novo".



Como sempre, o encontro foi marcado pela alegria e o prazer de estarmos juntos e compartilharmos nossas produções ou textos alheios que são referências para nós.



Já estamos em contagem regressiva para o primeiro encontro de 2016.










sábado, 26 de dezembro de 2015

REI JESUS


Por Josselene Marques




Sereno em seu humilde trono de madeira,

É motivo de encantamento e adoração.

A simplicidade que o cerca nos faz refletir...

É preciso muito pouco para se viver em paz.



Mensageiro da esperança e da boa-nova de Deus,

Divina personificação do amor incondicional

– O sentimento que transforma, perdoa e salva

A quem o acolhe e o mantém em seu coração.



Rei Jesus, que neste seu presente aniversário,

As pessoas não se deixem levar pelo consumismo,

Que elas não esqueçam o real motivo da celebração.

Que Lhe deixem entrar nos lares para comemorar o Seu Natal!

sábado, 28 de novembro de 2015

A BREVIDADE DA VIDA

É mister que vivamos o hoje intensamente




A BREVIDADE DA VIDA
©Josselene Marques


Nesta manhã, acordei ao som de ‘Pais e Filhos’, de Renato Russo. Os acordes vieram do automóvel de um madrugador. Confesso que até gostei deste inconveniente despertar antecipado ao costumeiro canto dos passarinhos.
Um trecho dessa canção fixou-se em minha mente e não mais saiu: ‘é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã’.
Então eu me pus a reflexionar: Por que vivemos como se fôssemos eternos, sempre adiando tarefas, reconciliações e projetos? Por que acumulamos tantas mágoas, sobrecarregando nossas almas? Por que esperamos a perda para reconhecermos o valor de alguém?
Se a vida é curta e apenas uma passagem, é mister que vivamos o hoje intensamente, empenhando-nos em cultivarmos e exercitarmos o bem.
Estes instantes matutando sobre a brevidade da vida, as incertezas que carregamos no íntimo e os mais diversos sentimentos que nutrimos por tudo que nos cerca me renderam o poema ‘Efemeridades’, que hoje compartilho com vocês, preciosos leitores:


EFEMERIDADES
Depois de aberta, a flor
Tem quase a mesma duração
De seu distinto perfume.
O tempo é absoluto
– não espera por ninguém.
Controla a luz do dia
E o correr da noite,
Em sua transitoriedade.
A paixão se vai...
Antes que você perceba.
A alegria é passageira;
Os momentos são curtos;
A vida, pois, é só uma passagem!

Amemos, pois, como se não houvesse amanhã, e tenhamos um excelente e intenso sábado!