Conteúdo do blog

Conteúdo do blog

domingo, 31 de maio de 2009

Meu horizonte


Imagem: WEB

Tu estás sempre à minha frente.
És um mundo desconhecido - morada do meu futuro.
O que me reservas?
O que me concederás?
Por que não te revelas?
Desisto de esperar – passivamente.
Tenho pressa! Vou à luta!
O tempo não pára e tampouco esperará por mim.
Sigo, decidida, em tua direção...
Preciso alcançar-te e usufruir
Do que me for destinado.
Quero ter o privilégio de viver
Um belo e novo amanhecer.



Copyright © 2009 – Josselene Marques
© Todos os Direitos Reservados


sábado, 30 de maio de 2009

30.05.09 - Amor verdadeiro

Imagem: WEB

"O verdadeiro amor nunca se desgasta. Quanto mais se dá mais se tem."


Antoine-Jean-Baptiste-Marie-Roger Foscolombe de Saint-Exupéry (1900 - 1944) - foi um escritor, ilustrador e piloto da Segunda Guerra Mundial.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

28.05.09 - Melodia Sentimental - Sandy

Imagem:WEB

O poema de Dora Vasconcelos, "Melodia Sentimental," é parte integrante da obra "A Floresta do Amazonas" de Heitor Villa-Lobos - composta nos anos 50 para o filme "Green Mansions" de Mel Ferrer .
Transformado em canção, foi gravada e regravada por vários nomes da música brasileira tais como: Bidu Sayão, Zizi Possi, Maria Betânia entre outros. Em 2003, ela foi incluída na trilha sonora do filme "Deus é Brasileiro", de Carlos Diegues, na voz de Djavan.

Sua letra é refrigério para a alma; sua melodia, um bálsamo para os ouvidos... Uma prazerosa viagem!
Veja só que bela...

Compositores: Heitor Villa-Lobos - Dora Vasconcellos

Acorda, vem ver a lua
Que dorme na noite escura
Que surge tão bela e branca
Derramando doçura
Clara chama silente
Ardendo meu sonhar
As asas da noite que surgem
E correm o espaço profundo
Oh, doce amada, desperta
Vem dar teu calor ao luar
Quisera saber-te minha
Na hora serena e calma
A sombra confia ao vento
O limite da espera
Quando dentro da noite
Reclama o teu amor
Acorda, vem olhar a lua
Que brilha na noite escura
Querida, és linda e meiga
Sente meu amor e sonha.

Confira a beleza da melodia no vídeo abaixo:


video
Apresentação de Sandy Leah e
o pianista Marcelo Bratke, no Ibirapuera,
cantando 'Melodia Sentimental'.

domingo, 24 de maio de 2009

Liberdade


Imagem: WEB

Que bom seria se todos tivessem a liberdade ...

   de pensar e falar o que lhes viesse à cabeça;
   de sentir e agir sem se reprimir;
   de ser e acontecer sem receios ou rodeios;
   de ir e vir para onde lhes aprouvesse;
   de escolher e viver o que fosse melhor para si;
   de fantasiar e realizar lindos sonhos;
   de confessar, sem temores, os seus amores.


Copyright © 2009 – Josselene Marques
© Todos os Direitos Reservados

MARIO BENEDETTI PARTIU, MAS SUA OBRA FICOU

Mario Benedetti - poeta, escritor e ensaísta
Imagem: WEB

Hoje faz, exatamente, uma semana que a poesia ibero-americana perdeu um de seus expoentes. Refiro-me a Mario Benedetti (Paso de los Toros, 14 de setembro de 1920 — Montevidéu, 17 de maio de 2009). Ele foi um poeta, escritor e ensaísta que integrou a Geração de 45, a qual pertencem também Idea Vilariño e Juan Carlos Onetti, entre outros. Iniciou sua carreira literária em 1949 e é considerado um dos principais autores uruguaios. No ano de 1956, ficou famoso ao publicar "Poemas de Oficina", uma de suas obras mais conhecidas. Possuidor de uma mente bastante fértil, escreveu mais de 80 livros de poesia, romances, contos e ensaios, assim como roteiros para cinema. Sua última publicação foi o poemário "Testigo de Uno Mismo" - apresentada em agosto de 2008. Antes da última entrada no hospital, Benedetti estava trabalhando em um novo livro de poesia cujo título provisório é "Biografía para Encontrarme". Faleceu aos 88 anos, em sua residência, na capital uruguaia, em consequência de sua frágil saúde.

Abaixo, um fragmento de sua poesia:

POR QUE CANTAMOS
Mario Benedetti

Versão: Antonio Miranda

Si cada hora viene con su muerte

Se cada hora vem com sua morte
Si el tiempo es una cueva de ladrones
Se o tempo é um covil de ladrões
Los aires ya no son los buenos aires
Os ares já não são tão bons ares
La vida es nada más que un blanco móvil
E a vida é nada mais que um alvo móvel

Usted preguntará por qué cantamos

Você perguntará por que cantamos
Si nuestros bravos quedan sin abrazo
Se nossos bravos ficam sem abraço

La patria se nos muere de tristeza
A pátria está morrendo de tristeza

Y el corazón del hombre se hace añicos
E o coração do homem se fez cacos

Antes aún que explote la vergüenza
Antes mesmo de explodir a vergonha

Usted preguntará por qué cantamos
Você perguntará por que cantamos

Si estamos lejos como un horizonte
Se estamos longe como um horizonte

Si allá quedaron árbores y cielo
Se lá ficaram árvores e céu

Si cada noche es siempre alguna ausencia
Se cada noite é sempre alguma ausência

Y cada despertar un desencuentro
E cada despertar um desencontro

Usted preguntará por qué cantamos
Você perguntará por que cantamos

Cantamos porque el río está sonando
Cantamos porque o rio está soando

Y cuando suena el río / suena el río
E quando soa o rio / soa o rio

Cantamos porque el cruel no tiene nombre
Cantamos porque o cruel não tem nome

Y en cambio tiene nombre su destino.
Embora tenha nome seu destino.


Caso você deseje conhecer mais alguns poemas, deste autor, recomendo o blog BALADAS MP3 (http://baladasmp3.blogspot.com/) onde você poderá lê-los, no idioma original, e/ou escutá-los recitados em espanhol perfeito ou, ainda, através da obra abaixo que traz os poemas traduzidos para o português.



MÁRIO BENEDETTI
ANTOLOGIA POÉTICA.


Tradução de Julio Luís Gehlen.
Rio de Janeiro: Record, 1988
ISBN 85-1-033043-3





Copyright © Josselene Marques
© Todos os Direitos Reservados

domingo, 17 de maio de 2009

17.05.09 - Paciência

Imagem: Getty Images

"A paciência é amarga, mas seu fruto é doce."


Jean-Jacques Rousseau (1712 - 1778) - filósofo suíço, escritor, teórico político e um compositor musical autodidata. Uma das figuras marcantes do Iluminismo francês, Rousseau é também um precursor do romantismo.

sábado, 16 de maio de 2009

SERENIDADE


Imagem: WEB


SERENIDADE
Por Josselene Marques

Neste momento, uma sensação de paz invade todo o meu ser.

Ela é fruto de uma consciência tranquila, da certeza do dever cumprido, dos compromissos em dia, de um coração que ama, é amado e só deseja o bem.

Desde que amadureci, realizo a façanha de não me deixar corromper por sentimentos vis – e isso me tem feito um bem enorme.

Para conservar do espírito a serenidade, sempre busco a luz e os sentimentos nobres – elementos essenciais para fazer valer a pena esta breve passagem por este conturbado planeta.

Copyright © 2009 – Josselene Marques
© Todos os Direitos Reservados

Sol e Lua


Imagem: WEB


Uma estrela e um satélite, na imensidão do universo,
Encontraram-se e, à primeira vista, apaixonaram-se:

A Lua, quando viu o Sol, perdeu a atmosfera.
O Sol desmaiou de emoção,

Mas antes, num gesto nobre,
Concedeu a ela, por algumas horas,

O seu brilho e o seu lugar.
Maravilhada, a Lua encheu-se de esplendor.

Desde então, ele fez-se provedor vitalício da luz,
Ela a sua refletora
E, em parceria, iluminam o mundo.

Ele ao raiar o dia, ela ao cair a noite.
De personalidades distintas, completam-se

E convivem pacificamente.
O Astro do dia distribui radiação constante,

O Astro da noite, luz variante.
O Sol revela apenas um rosto
A Lua é temperamental:
Sua face se altera com as fases.

Enamorados, rapidamente, criaram laços
- Apesar da distância que os separa.

Assim, vive este belo casal: Sol e Lua
Seguem, pelo espaço, nos encantando
Com a sua singular história de amor.



Copyright © 2009 – Josselene Marques
© Todos os Direitos Reservados

sexta-feira, 15 de maio de 2009

FELICIDADE NA MATURIDADE



Autor: HTB
Licença: CC Attribution-NonCommercial 2.0

A felicidade pode ser alcançada, bem mais facilmente, com a maturidade; mas isto não significa que os jovens não possam ser felizes. Claro que podem! Apenas penso que se torna um pouco mais difícil.


Você há de concordar comigo que a ansiedade, a insegurança, a imaturidade, o imediatismo, as paixões e os desafios, que são mais comuns e intensos na juventude, podem comprometer um bom número de momentos que poderiam ser de alegria, mas não o são devido à angústia que toma conta da mente e dos tenros corações.

Hoje, sinto uma “saudade aliviada” da minha adolescência. É uma satisfação constatar que, neste exato momento da minha vida, não preciso mais me impor à aceitação do meio, pois, paulatinamente, conquistei – mas costumo fazer manutenção periódica - o respeito de familiares, professores, amigos e conhecidos. Nesta rápida reflexão, percebo o quanto evoluí como pessoa e o quanto construí nos últimos anos. Tenho amor, amizade, graduação, profissão, trabalho digno, respeito e reconhecimento social. Que mais posso querer para ser feliz? Entende, agora, o porquê de ser mais aturada a felicidade na maturidade?

Nesta fase atual, tenho procurado cultivar a serenidade, que garante a paz de espírito, e observo que vêm se multiplicando e tornando-se mais constantes os momentos de tranquilidade e contentamento, que se convertem em felicidade de ser e de viver. Vez por outra, o estresse – um dos piores inimigos da felicidade – me faz uma visita; afinal, sou humana -, mas tenho procurado resistir a ele – não tenha dúvida!


Copyright © 2009 – Josselene Marques
© Todos os Direitos Reservados





segunda-feira, 11 de maio de 2009

Seamisai (Sei que me amavas) - Laura Pausini

  Google Images

Eis mais uma de minhas músicas preferidas. Na verdade, este post é uma retribuição à amizade de uma pessoa gentil e atenciosa que, agora, é seguidora do meu outro espaço virtual (blog Expressão): Ana Kaddja, do blog Eu Mulher . Ela também gosta muito desta música.
Veja só que bela!
Non dire no,
(Não digas não,)

Che ti conosco e lo so cosa pensi
(Que te conheço e sei o que pensas) 

Non dirmi no.
(Não me digas não)
Os tempos vão
Foram-se os tempos e agora te calas
Tu já não falas se falo de amor
Se tens as malas prontas, não finjas, tudo acabou

Porque já não se vê
O teu sorriso ao amanhecer
Porque já não sou mais teu bem-querer

Se ami sai quando tutto finisce
(Se amas sabes quando tudo acaba)

Se ami sai come un brivido triste
(Se amas conheces um gemido triste)

Come in un film dalle scene già viste
(Como em um filme cujas cenas tu já viste)

Che se ne va, oh no!
(Que se vai embora, oh não!)

Se o amor acaba a ninguém cabe a culpa
Se o amor acaba não cabe desculpa
Agora aperte as minhas mãos, sim,
Pra que reste o recordar-se
Amanhã...

E non si può
(E não se pode)

Chiudere gli occhi e far finta di niente
(Fechar os olhos e fazer de conta que nada aconteceu) 

Come fai tu quando resti con me
(Como tu fazes quando ficas comigo)

E non trovi il coraggio di dirmi che cosa c'è
(E não encontras coragem de me dizeres o que há)

Sarà dentro di me come una notte d'inverno perché
(Será dentro de mim como uma noite de inverno porque) 

Sarà da oggi in poi senza di te
(Será hoje em diante sem ti)

Se ami sai quando tutto finisce
(Se amas sabes quando tudo acaba)

Se ami sai come un brivido triste
(Se amas conheces um gemido triste)
Come in un film dalle scene già viste
(Como em um filme cujas cenas tu já viste)

Che se ne va, oh no!
(Que se vai embora, oh não!)
Sabes que é chegada a hora das dores
Dores de quando se acabam os amores
Agora aperte as minhas mãos, sim,
Pra que reste o recordar-se
Amanhã...
Não estarás
Mais aqui


video

domingo, 10 de maio de 2009

10.05.09 - Mãe

Imagem: Clip-art Montagem: Selene


Pedi a ajuda de Mário Quintana para fazer uma homenagem a você, mãe, que merece todo respeito e amor de seus filhos.


Mãe...são três letras apenas
As desse nome bendito:
Também o céu tem três letras
E nelas cabe o infinito

Para louvar a nossa mãe,
Todo bem que se disser
Nunca há de ser tão grande
Como o bem que ela nos quer

Palavra tão pequenina,
Bem sabem os lábios meus
Que és do tamanho do CÉU
E apenas menor que Deus!


Mário de Miranda Quintana (1906 —1994) - foi um poeta, tradutor e jornalista brasileiro.

terça-feira, 5 de maio de 2009

RELAÇÕES HUMANAS

Imagem do Clip-art Montagem: Selene

Para sermos bem-sucedidos nas relações humanas, no trabalho ou fora dele, são imprescindíveis tanto o respeito pelo outro quanto a reciprocidade de ações ou comportamentos positivos. A citação, abaixo, fundamenta o meu pensar...

"Quero amá-lo sem dominarAproximar-me sem invadirConvidá-lo sem imporDeixá-lo sem acusarAjudá-lo sem insultarSe eu puder receber o mesmo de vocêEntão poderemos ter um encontro verdadeiro."


Rosa R. Krausz - é socióloga, Mestre e Doutora pela Universidade de São Paulo – USP. Full Member da Worlwide Association of Business Coaches - WABC, Presidente da Associação Brasileira de Coaching Executivo e Empresarial – ABRACEM, autora de Coaching Executivo: A Conquista da Liderança, Nobel e de artigos, alguns dos quais encontrados em http://www.abracem.org.br e e http://www.abracem.com .

sábado, 2 de maio de 2009

Flores


Imagem: WEB

Lindas, ternas, doces...Inspiram paz, tranquilidade, leveza.
Perfumadas, coloridas, frágeis, indefesas...
Guardam a resistência em suas sementes.Efêmeras e suaves como as fragrânciasQue deixam em minhas mãos.Em sua curta vidaSó distribuem e atraem beleza.Recebo-as, pois, como um presenteDa generosa Mãe-naturezaQue me galardoa pela disposiçãoDe cultivá-las em meu jardim.

Copyright © 2009 – Josselene Marques
© Todos os Direitos Reservados

sexta-feira, 1 de maio de 2009

ESPERANÇA

A esperança e o sonho
Imagem: WEB

Segundo Aristóteles, a esperança é o sonho do homem acordado.


Na verdade, todos nós precisamos de uma motivação para viver. Geralmente, os sonhos são nada mais nada menos que objetivos traçados para nossa existência. Todavia, eles só serão concretizados ou alcançados se acreditarmos neles e tivermos esperança.

Cheguei à conclusão de que a esperança pode ser adquirida e utilizada na construção do nosso futuro. Principalmente, se a ela agregarmos a paciência. Então, neste caso, é sucesso garantido e ela poderá ser transformada em nossa maior força.

Portanto, a esperança deve fazer parte do nosso cotidiano a fim de que nos transmudemos em bem-sucedidos arquitetos de nosso próprio destino.

Copyright © 2009 – Josselene Marques
© Todos os Direitos Reservados

01.05.09 - Dia Mundial do Trabalho

Imagem: WEB



Hoje é o Dia Mundial do Trabalho. Convido-o (a) caríssimo (a) leitor (a) , pois, a refletir junto comigo através da citação abaixo:

"O trabalho afasta de nós três grandes males: o tédio, o vício e a necessidade."

François-Marie Arouet (1694 — 1778) - mais conhecido pelo pseudônimo Voltaire - foi um escritor, ensaísta, deísta e filósofo iluminista francês conhecido pela sua perspicácia e espirituosidade na defesa das liberdades civis, inclusive, liberdade religiosa e livre comércio.

O trabalho é inerente ao homem e o responsável pela sua atuação eficaz no meio ambiente. Quando o trabalhador produz, ele integra-se e interage com os demais membros da sociedade. O resultado desse labor é uma ação de caráter coletivo e social para o bem comum.

Para chegar aos regimes capitalista e socialista, oficialmente em vigor na atualidade, os trabalhadores passaram pelos regimes de comunidade primitiva, de escravidão e de feudalismo. Infelizmente, ainda há, em pleno século XXI, pessoas que trabalham em regime de escravidão ou semiescravidão - algo lamentável e revoltante.

Vejo o trabalho como uma ocupação saudável ou um passatempo que nos afasta dos vícios, nos dignifica, sustenta, faz amadurecer e crescer como ser humano.

Que num futuro próximo todos, sem exceção, possam comemorar, de fato, o Dia do Trabalho.


Copyright © 2009 – Pura Inspiração
© Todos os Direitos Reservados