Conteúdo do blog

Conteúdo do blog

domingo, 9 de novembro de 2008

O QUE JÁ APRENDI SOBRE O AMOR...

Imagem do Google

O QUE JÁ APRENDI SOBRE O AMOR...
Copyright © 2008 Josselene Marques


O amor é o sentimento primário dos seres humanos. Pode ser definido e classificado de diferentes maneiras de acordo com o entendimento de quem o estuda ou sente. Sem muita pretensão, hoje, discorrerei sobre o que já aprendi sobre ele.

Todos hão de concordar comigo que, dentre todos, é o mais bonito, o mais forte e o mais poderoso sentimento que existe. Ele se manifesta, em vários níveis, nos vínculos entre pais, irmãos, parentes, amigos, enamorados e, também, na relação do ser humano com a natureza – que é extensiva a Deus.

Os amores materno e paterno são os mais sublimes. Eles requerem doses extras de abnegação. Já no amor fraterno observamos uma manifestação mais branda do amor, mas nem por isso menos considerável. Inclusive, há pessoas que “adotam”, por afinidade, os amigos como irmãos e nutrem por eles um amor até maior que o dispensado aos seus consanguíneos. Amizade é o nome especial dado ao amor entre amigos. O amigo verdadeiro é alguém que tem papel fundamental em nossas vidas, principalmente, nas horas difíceis. O que seria de nós sem um ombro amigo em uma hora de dor ou dificuldade extrema? O amor romântico, com relacionamento físico ou não, é o mais bem difundido e, provavelmente, o preferido do ser humano. Ele é, para mim, o mais complexo. O fato de unir pessoas diferentes em formação, atitudes e pensamentos gera alguns conflitos envolvendo sentimentos de posse, ciúme e desrespeito à individualidade. Para que este tipo de amor nasça, cresça e sobreviva ao tempo são necessárias medidas racionais no controle das emoções entre os enleados. Precisamos ter consciência de que o amor é livre, não pede licença para chegar e muito menos para ir embora. O desafio é, justamente, mantê-lo dentro de nós. Infelizmente, não há fórmula para isso, mas adotar uma conduta onde ambos se respeitem em suas peculiaridades é essencial. O medo de que o amor se vá faz com que os apaixonados o sufoquem e ele, a partir de então, começa a desencantar-se, contaminar-se e, fatalmente, partirá em busca de uma nova morada onde a sua liberdade não seja cerceada. O amor à natureza se confunde com o amor a Deus – nosso Criador. Temos sido muito ingratos na relação com ambos. A maior prova disso é a situação em que se encontra o nosso planeta: em destruição, poluído, violento, nações em guerra, entre tantas outras coisas que ferem os “objetos” deste tipo de amor.


É lamentável constatarmos o quanto o sentimento supremo tem sido desrespeitado, maltratado, confundido e depreciado. O desamor é o principal responsável por tudo o que acontece de ruim em nossas vidas. Quando cultivamos o amor, seja em qual nível for, a nossa recompensa será colher os bons frutos que são atrelados a ele tais como: alegria, paz, felicidade, tranquilidade, prazer e saúde física e mental. Como solução para melhorar o mundo, sugiro que sigamos os ensinamentos de Santo Agostinho: “Ama e faze o que quiseres. A medida do amor é amar sem medida”. 

4 comentários:

gera disse...

Acho que não tem jeito mesmo para o ser humano não, pois tão fácil que é amar e as pessoas teimam absurdamente em odiar e fazer o mal ao próximo, será que essa tendência será revertida ou se aprofundará CADA VEZ MAIS. Estou perdendo a esperança.

Anonymous disse...

Você disse várias verdades, Selene. Amar, em todos seus estágios, é um dom dado pelo Pai. amemos, pois. É claro que dentre todos os amares, o mais forte, o que estremece é aquele voltado para o desconhecido de então - que não faz parte dos seus. Dele temos a certeza de que o amor, coisa tão simples, é algo complexo, que caminha por labirintos e atrela vários outros sentimentos, às vezes nocivos, a relação. Mas, no final, nós amamos. E isso é bom. Muito bom. Parabéns pelo artigo. Bem elaborado, cheio de reflexões e, uma ótima leitura sobre o amor.

Mágda Maria disse...

Muito bem, minha irmã, você realmente já aprendeu bastante sobre o amor...

"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar pra pensar, na verdade não há..."

max william disse...

Deus nos ensinou Amar uns aos outros ,mais isso não é fácil ...
Imagine vc amar um assassino ou um ladrão seja La o que for , como já citado uma das armas mais usadas para que aconteça guerras é a falta de amor entre a humanidade.
É sempre bom cultivar um amor entre familiares , namoros, amigos ETC.
Mais o verdadeiro e o mais perfeito amor é Deus que nos dar , ele nos amou de tal maneira que deu seu único filho para morrer por nós .
O mundo ficaria melhor se nós cultivássemos mais o Amor , e deixa por algum tempo o dinheiro , guerras ,diferenças.

‘’O amor é a única arma para combater as diferenças do homem’’

[i}Max william