Conteúdo do blog

Conteúdo do blog

domingo, 27 de fevereiro de 2011

O dia de amanhã

Viva um dia de cada vez...
Imagem do Google


O DIA DE AMANHÃ
Por Josselene Marques

Comumente nos preocuparmos de maneira excessiva e, muitas vezes, até obsessiva com o dia de amanhã. Contudo, essa preocupação é vã e desnecessária, pois não podemos antecipar ou prever, com precisão, o futuro que nos espera. Os imprevistos são inevitáveis na maioria dos casos. Nem sempre o dia seguinte é tão sombrio ou alegre quanto imaginamos. Por isso, é mister esperar que ele chegue para podermos vivê-lo de fato. Se assim procedermos, estaremos evitando sofrer duplamente ou inutilmente.
Se tivermos fé e acreditarmos na existência de um Ser superior, que olha por nós, ficará bem mais fácil controlar a ansiedade. Só não podemos esquecer de que devemos fazer a nossa parte na construção desse futuro. Quanto ao resto, deixemos por conta da providência divina.

Vejo com tristeza algumas pessoas vazias, incrédulas e tão irremediavelmente apegadas ao dinheiro ao ponto de se esquecerem de viver, ocupadas que estão em aumentar suas posses. Na verdade, elas não mais administram seus próprios recursos financeiros, mas são manobradas por eles.

Durante a minha adolescência, tive o privilégio de conviver com uma pessoa muito sábia: a minha avó materna. Recordo-me que, certo dia, ao revelar-lhe as minhas inquietações, diante de algumas dificuldades, ela me disse: “Filha, não se preocupe tanto com o amanhã. Deus proverá. Tenha fé e viva o hoje. Um dia de cada vez.” Incrivelmente, após uma noite de sono, o dia renasceu trazendo novas possibilidades que me fizeram ver o quanto ela tinha razão.


2 comentários:

Anônimo disse...

Sua avó, Josselene, de fato, era uma mulher sábia. Por mais ansiosos que sejamos, as coisas somente acontecem no seu devido tempo. Porém, é comum vermos (e até cairmos nessa armadilha) as pessoas se matando de trabalhar, se preocupando com o amanhã, armazenando o máximo que podem de riquezas e, quando mais se precisa de tudo isso para viver o presumível futuro, não têm mais tempo, pois para elas, o futuro já é passado e o tempo levou suas juventudes. Resultado: não viveram, apenas sonharam cegamente som o poder, a riqueza e se esqueceram de que a vida é feita de pequenas colchas de retalhos, que vamos costurando no dia a dia, sem precisarmos nos preocupar com um futuro tão distante.
Abraço,s
Raí

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite!

Dada a quadra,

por hoje

venho apenas desejar-lhe

um bom Carnaval!

Saudações poéticas